Painel Venezuela
Informe OPSA:







 

Argentina

Argentina

Argentina: Bertone vence segundo turno em Tierra del Fuego.
Bolívia

Bolívia

Bolivia: Morales promulga lei de conciliação e arbitragem e empresários prometem investimentos.
Brasil

Brasil

Brasil: Dilma faz primeira visita aos EUA após crise da espionagem.
Chile

Chile

Chile: Eyzaguirre é o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.
Colômbia

Colômbia

Colômbia: Santos recebe primeiro-ministro francês.
Equador

Equador

Equador: Manifestações contra políticas do governo continuam no país.
Paraguai

Paraguai

Paraguai: Campesinos voltam a ocupar terras em Curuguaty.
Peru

Peru

Peru: Primeiro Gabinete Binacional termina com apoio à causa marítima boliviana.
Uruguai

Uruguai

Uruguai: Mobilizações relembram os 42 anos do golpe militar.
Venezuela

Venezuela

Venezuela: Eleições parlamentares são marcadas para o dia 6 de dezembro.
Argentina
Bolívia
Brasil
Chile
Colômbia
Equador
Paraguai
Peru
Uruguai
Venezuela

 

 

fechar

 

Venezuela: Eleições parlamentares são marcadas para o dia 6 de dezembro.

 

22/06 – A presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, Tibisay Lucena, anunciou que as eleições para a Assembleia Nacional foram marcadas para o dia 06 de dezembro e a campanha eleitoral deve acontecer entre 13/11 e 03/12. Deverão ser eleitos 167 deputados, 113 dos quais mediante o sistema distrital majoritário e 51 pelo método proporcional. Mais três deputados serão eleitos por comunidades indígenas. Em 25/06, o CNE aprovou a exigência de que os partidos políticos postulem pelo menos 40% de mulheres como candidatas. Dirigentes da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) lamentaram que essa norma fosse anunciada depois que já haviam sido realizadas as eleições primárias para candidatos da oposição e a menos de seis meses da data das eleições, contrariando disposições constitucionais. Por sua vez, o governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) realizou suas próprias eleições primárias em 28/06, nas quais participaram, segundo autoridades do partido, mais de três milhões de militantes. Após o anúncio da data das eleições, o líder opositor Leopoldo López, em prisão preventiva, encerrou a greve de fome iniciada 30 dias antes.